Pílulas de Sabedoria de Radamés Gnattali (IV)

27/10/11

RADAMÉS GNATTALI sobre CHORO:
“O Choro é o gênero mais evoluído da música brasileira. Existem milhões de choros, mas os bons mesmo são os do Pixinguinha. Bons por estar muito mais elaborados? Não, é porque ele é um sujeito genial, criou aquelas músicas e aquilo é o Choro e acabou.”

Anúncios

Pílulas de Sabedoria de Radamés Gnattali (III)

25/10/11


RADAMÉS GNATTALI sobre “PIANO”:
“Toca alguma coisa”, me pedem.
“Não toco, não estou em dia”, respondo.
O sujeito ri, “ah, então você ainda precisa estudar?”
Pensam que é assim. É claro que preciso estudar, eu sei o que é tocar bem piano. Passei muito tempo só tocando em baile, trabalhando em orquestra e há vinte anos que praticamente não estudava. Perguntei à minha filha Roberta se ia conseguir tocar como antes e ela disse que a musculatura da mão não tem nada a ver com a velhice, mas eu acho que tem. Tenho tocado os Estudos Sinfônicos de Schumann. Tá difícil mas vou chegar lá.
Outro dia, estava ouvindo Mephisto, aquela valsa do Liszt, e o negócio era muito bom, cada vez o pianista ia arrasando mais e no fim o locutor disse “Horowitz”.
É demais! Tenho que tocar desse jeito. Vou estudar pra tocar direito outra vez. Quero chegar no ponto em que estava quando tinha 18 anos e dei o concerto no Rio, vocês leram as críticas? Perguntem ao Arnaldo Rebelo que assistiu ao concerto.
Tocar é muito difícil, escrever é facílimo.